MarioSergioDr

Dr. Mário Sérgio Rossi Vieira

Médico , pratica Karate-Do desde 1981 e participante do 3o. Curso de Formação de Instrutores de Karate-Do.
"É perfeitamente compatível darmos ênfase a nossa segurança e a segurança dos nossos companheiros, e ao mesmo tempo, treinarmos com vigor e contundência."

As lesões Traumáticas mais comuns na prática do karate são as contusões e hematomas; as distensões dos tecidos moles (músculos, tendões, ligamentos); as fraturas ósseas; os ferimentos corto contusos e as lacerações da pele. Os locais de acometimento mais predominantes localizam-se nos grandes grupos musculares dos membros inferiores; nas articulações dos tornozelos, joelhos, quadris e cotovelos; em costelas, face e nos ossos das mãos e pés.

Outro grupo de lesões, denominadas de lesões por Micro Traumas de Repetição, são também muito comuns na prática do Karatê e tem origem pelo excesso de solicitação tecidual sem o devido tempo para recuperação das estruturas envolvidas. Normalmente ocorrem por prática de treinamentos inadequados e sem o uso da melhor técnica.

As lesões mais comuns causadas por micro traumas são as tendinites em ombros (manguito rotador), joelhos (tendão patelar e quadricipital) e cotovelo (tendão bicipital); além de lesões e contraturas musculares inflamatórias e quadros de lombalgia e cervicalgia. Abaixo algumas dicas para prevenção:

  1. É fundamental procurar serviço médico antes de iniciar a prática de qualquer esporte. A história clínica pregressa, associada ao exame físico e testes laboratoriais, posicionam o médico em relação a sua atual condição de saúde. A análise das pré-disposições individuais inter-relacionadas com o estudo das solicitações físicas da modalidade, delineiam diretrizes para a prática esportiva com maior segurança.
  2. Se você esta fora de forma, procure seguir um programa racional e gradativo de recondicionamento físico e treinar Karate em um grupo homogêneo para a sua condição atual. A fadiga muscular precoce e o desalinhamento corporal provocado por cansaço prejudicam a boa técnica e facilitam o aparecimento de lesões por micro traumatismos.
  3. Valorize sempre um aquecimento adequado antes de iniciar técnicas mais vigorosas. A musculatura quando “fria”, ou seja, sem o devido aporte sanguíneo é mais suscetível a lesões do tipo distensão. O aparelho cardiovascular também é submetido a um estresse adaptativo maior quando não há um aquecimento prévio aos esforços de maior intensidade.
  4. Valorize também o resfriamento corporal e técnicas de alongamentos e relaxamento muscular após o treino. Frequentemente negligenciamos, por falta de tempo e prioridade, essa importante etapa do nosso treinamento. Alongamentos suaves e uma caminhada restaurativa ajudam a minimizar contraturas musculares dolorosas e reciclar elementos bioquímicos do nosso metabolismo que poderão levar a quadro de dores musculares pós treino.
  5. Atenção em relação à hidratação corporal! Mantenha-se hidratado de forma adequada ingerindo pelo menos dois copos de água antes do treino e, proporcionalmente, segundo o tempo e esforço, reidratando-se durante o treino. Siga a etiqueta do nosso esporte e peça permissão ao seu Sensei para sair do Dojo. Até mesmo níveis baixos de desidratação levam a fadiga precoce e prejudicam a capacidade do corpo de adaptar-se ao calor gerado pela prática intensa. Como vimos, fadiga precoce é fator que predispõe a lesões.
  6. Use os equipamentos de proteção sempre que for treinar contato com maior intensidade. Caso necessite, por indicação médica, de proteção articular através de equipamentos (órteses protetoras), peça permissão ao seu Sensei e faça uso adequado durante os treinos. Se você usar óculos, use modelos específicos ou protetores adequados para a prática de esportes de contato.
  7. Procure treinar com regularidade e buscar evolução gradativa em sua técnica. Desenvolva cada vez mais a habilidade de perceber o próprio corpo e analisar seus erros e acertos em cada treinamento. Siga as orientações de um Sensei preparado e experiente. Uma base bem alicerçada, conseguida com consistência, perseverança e bom senso é o segredo para praticar karate de alto nível por muitos anos.
  8. Treine com Responsabilidade e Marcialidade! É perfeitamente compatível darmos ênfase a nossa segurança e a segurança dos nossos companheiros, e ao mesmo tempo, treinarmos com vigor e contundência. Os golpes praticados tem potencial de causar graves lesões em nós mesmos e nos outros. Faça uso das técnicas mais avançadas á medida que desenvolve também o controle da sua utilização. O domínio do controle do golpe também faz parte da técnica.
  9. Utilize a Makiwara, os sacos de areia e os bonecos de impacto (“Bob”) com inteligência. Esses equipamentos fazem parte dos nossos treinamentos e são fundamentais para ganho de poder de impacto e, também, de aumento perceptivo do “contra impacto” causado pelo oponente em nossas mãos, pés, cotovelos e joelhos. Progrida lentamente no grau de intensidade do impacto contra esses equipamentos para que haja adaptação do seu corpo. Muita sede ao pote, nesses casos, é certeza de ferimentos abrasivos, dedos fraturados, cotovelos inchados por inflamações na capsula articular, etc.
  10.  Procure periodizar os treinamentos através de ciclos. Trace, com auxílio de seu instrutor, uma planificação mensal, semestral e anual objetivando eficiência nos treinamentos. Evite a exaustão por excesso de treinamentos mal dimensionados e ao mesmo tempo, procure metodologias que levem ao florescimento de todo o seu potencial. O karate é Arte Marcial e Esporte, ao mesmo tempo. O objetivo é integrar de maneira harmoniosa esses dois universos, e aproveitar ao máximo a ancestralidade da técnica marcial e a modernidade dos conhecimentos da ciência esportiva.

 

O Dr. Mário Sérgio Rossi Vieira é médico especialista em Fisiatria, Medicina Esportiva e Acupuntura Médica. Médico Institucional do Hospital Israelita Albert Einstein e da Confederação Brasileira de Esportes Aquáticos e... Praticante de Karate Shotokan desde 1981, Faixa Preta pela FPK e CBK.

Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Site: www.medicoacupunturista.com.br